BUSCA

O SENHOR DAS FLORES


Clóvis Souza é dono da maior floricultura online do Brasil, a Giuliana Flores. Clóvis Souza nunca quis ser empresário. O que ele queria mesmo era ter sua própria floricultura.


O Senhor das Flores agora quer vender seus
produtos direto no smartphone

 

Mas a paixão pelas flores, descoberta ainda na infância, o levou naturalmente a se tornar dono do maior comércio virtual do produto no País: a Giuliana Flores. E ele parece ter tomado gosto pela posição. “Quero que a empresa cresça cinco vezes mais porque há muito mercado a ser explorado”, afirma.

senhorfloresSua próxima aposta é vender flores pelo celular. A empresa está estruturando a área de tecnologia para lançar, até o fim do ano, um aplicativo que permitirá aos clientes a realização de compras no site por meio de  smartphones. “Esse é um mercado que deve explodir em até dois anos”, afirma. A aposta reforça os resultados que a empresa vem obtendo na web. Hoje, 60% do faturamento da Giuliana Flores vem da internet. Mesmo assim, Souza faz questão de manter até hoje a loja física onde tudo começou. “É a menina dos meus olhos”, confessa.

O fascínio de Souza pelas flores surgiu com apenas dez anos, quando ele conseguiu emprego em uma floricultura próxima da sua casa. Decidido a não abandonar mais a profissão, passou por outras empresas até que aos 19 anos ele abriu a primeira loja da Giuliana Flores em São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo.

A grande sacada que abriria caminho para o crescimento da empresa ocorreu quando o empreendedor passou a distribuir folhetos dos seus arranjos de flores para outras regiões, ampliando as vendas para bairros vizinhos. Quando o e-commerce surgiu como uma novo ramo promissor para negócios, ele migrou as vendas do telefone para a internet. “Era fascinante saber que uma pessoa poderia comprar da minha loja sem falar comigo, sem perguntar nada”, conta.

O investimento para abrir o site foi de pouco menos de R$ 1 mil. Com o aumento do volume de vendas, logo a plataforma de processamento das compras, que era alugada, se tornou insuficiente. Foi quando Souza percebeu que o futuro do negócio estaria no mundo virtual e investiu pesado na montagem de uma estrutura própria de tecnologia da informação (TI) e na contratação de novos profissionais.

Para tornar o site conhecido, sua principal estratégia foi fechar parcerias com outras empresas, como operadoras de cartão de crédito. “Oferecíamos desconto e, com isso, nossa audiência cresceu e a marca foi se tornando conhecida”, lembra. Outros desafios surgiram e, aos poucos, Souza foi aprendendo a lidar com a logística e outras peculiaridades que envolvem um site de comércio eletrônico, como os tipos de flores e embalagens que poderiam ser comercializadas dessa forma.

Hoje, a Giuliana Flores cresce em um ritmo de 60% ao ano e faz 18 mil entregas por mês em mais de 1 mil cidades brasileiras. Além da Giuliana Flores, Souza comanda outras duas empresas: o site Nova Flor, floricultura virtual com foco na classe C, e o Cestas Michelle, focado no comércio de cestas de café da manhã pela internet. “Criei a Nova Flor na época em que estava engatinhando na internet, mas até hoje o site funciona para nós como uma forma de testar novidades que não temos coragem de implantar na Giuliana Flores sem testar”, conta.

A receita para manter o sucesso continua sendo a aposta na inovação, como o desenvolvimento do aplicativo para smartphones. “Sei que os concorrentes estão a um clique de distância, por isso, me pergunto todo dia o que faz o cliente comprar comigo para não perder o foco”, conclui.

Fonte: idepro.com.br | pme.estadao.com.br

Deixar seu comentário

Postar comentário

0 / 300 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 10-300 caracteres
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado